Há uma piada que descreve perfeitamente a magia das Dolomiti: “só falta o mar”.
O que, então, não é inteiramente verdade, já que uma das razões que levou a UNESCO a incluí-los entre as propriedades do Patrimônio Mundial é justamente porque, do ponto de vista geológico, eles fornecem “um corte transversal da vida marinha no período Triássico”, no rescaldo da maior extinção já registrada na história da vida na Terra (Declaração de Sevilha, 26 de junho de 2009).
Em suma, milhões de anos atrás, havia também o mar, enquanto hoje existem picos cobertos de neve, florestas, vales e um número infinito de tradições comuns às populações que vivem perto destes sistemas de 9 montanhas que se estendem entre duas nações (Itália e na Áustria), 3 regiões (Veneto, Trentino Alto Adige e Friuli Venezia Giulia) e 5 províncias (Belluno, Bolzano, Trento, Pordenone e Udine).

Mapa